Atos nesta quinta repudiam nomeação de executivos da Shell e de outras concorrentes para o CA da Petrobras

Quarta, 25 Abril 2018 19:33

Em atos nesta quinta-feira, 26, no Rio de Janeiro e nas unidades do Sistema Petrobrás, a FUP e seus sindicatos mais uma vez irão denunciar a privatização da empresa e a entrega às multinacionais de setores estratégicos da gestão da companhia. Neste dia, a Assembleia Geral dos Acionistas da Petrobrás irá eleger a nova composição do Conselho de Administração, que é o principal órgão decisório da estatal. Entre os indicados pelo governo estão José Alberto de Paula Torres, um dos mais influentes executivos da Shell (onde trabalhou por 27 anos), a ex-vice-presidente sênior da Maersk Drilling, Ana Lúcia Poças Zambelli (que também já foi ex-presidente da Schlumberger e da Transocean no Brasil) e Clarissa de Araújo Lins, atual diretora do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), entidade que representa os interesses das empresas do setor, que concorrem diretamente com a Petrobrás.

“O governo está indicando para o Conselho de Administração da Petrobrás pessoas vindas da concorrência e isso é muito grave”, afirma o coordenador da FUP, José Maria Rangel. Ele explica que no Conselho de Administração são tomadas decisões estratégicas não só para a Petrobrás, como para o país e os consumidores brasileiros, como é o caso da política de preços de derivados, que tanto tem afetado a população. José Maria lembra ainda o caso de corrupção envolvendo a Shell, cujas subsidiárias até recentemente eram comandadas por um dos indicados do governo Temer para o CA da Petrobrás.

Para denunciar mais este ataque contra a petrolífera brasileira, a FUP e as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo farão um ato público no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, com concentração às 11 horas, na Avenida Rio Branco, em frente ao metrô Carioca. Durante a manifestação será lançado o livro “Se é público é para todos”.

Nas unidades do Sistema Petrobrás, também estão previstas mobilizações, fortalecendo as assembleias que os sindicatos estão realizando para discutir com os trabalhadores o indicativo da FUP de greve por tempo indeterminado contra o desmonte e a privatização da empresa.

Leia também:

Nova composição do Conselho de Administração da Petrobras: financeirização e desnacionalização

[FUP]

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram