updated 6:27 PM CDT, Jul 20, 2018
Sábado, 21 de Julho de 2018

Greve de fome contra o fim da aposentadoria ganha novas adesões

Nesta quarta-feira, 13, os militantes do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) entraram no nono dia de greve de fome na Câmara dos Deputados Federais, na tentativa de sensibilizar os parlamentares a não votarem a Reforma da Previdência. Em várias partes do país, outros trabalhadores do campo e da cidade aderiram ao protesto.

Além dos camponeses que iniciaram a greve de forme em Brasília, estão agora também em greve trabalhadores do Rio Grande do Sul, Sergipe e Piauí.

Em outras regiões, foram realizados nesta quarta protestos com Dia de Fome, vigílias, atos e ações de denúncia contra a Reforma da Previdência, como é o caso de SC, RS, SE, ES, RO, BA, PI, PE, GO e AL.

Greve de Fome no Sergipe. Foto: MPA Greve de Fome no Sergipe. Foto: MPA

Permanecem em Greve de Fome contra a Reforma da Previdência em Brasília, Josi Costa, Leila Denise, Frei Sergio Görgen, Simoneide de Jesus, Rosangela Piovizani e Rosa Jobi.

No Piauí, Liria Maria e Leonardo Machado militante do MPA, estão em Greve de Fome no aeroporto da capital, Teresina. No Sergipe, 4 companheiros fazem greve de fome na Câmara Legislativa, Samuel Carlos, Elielma Barros, José Valter Vitor e Eliana Sales.

No Rio Grande do Sul, além dos 4 companheiros que iniciaram greve de fome nesta segunda-feira, 11, Lucas Pinheiro, Rosane do Amaral e Marlei Sell do MPA e Celis Madri do Sindicato dos Municipários de Canguçu (SIMCA) somam-se em Porto Alegre mais 12 companheiros de luta.

Em Santa Catarina os grevistas, Gilberto Schneider MPA, Lucimar Roman e Justina Cima (MMC), Thiago Leucz Levante Popular da Juventude e Antônia Sandra Vieira Quilombolas fazem dia de fome na Assembleia Legislativa.

Dias de Fome em SC. Foto: MPADias de Fome em SC. Foto: MPA

Na tarde dessa terça-feira, os grevistas em Brasília receberam a visita do Cardeal Dom Sergio da Rocha, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) na Câmara dos Deputados. “Queremos nesse momento reafirmar a necessidade de preservar o direito da população dos mais diversos campos, em especial os mais pobres, dos mais sofredores e daqueles mais indefesos”, explica o Cardeal.

No final do dia o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), visitou os camponeses e camponesas que estão em Greve de Fome. Após ouvir Frei Sérgio sobre como a Reforma da Previdência irá afetar os trabalhadores do campo e da cidade, Maia afirma ser a favor da Reforma da Previdência, porém não tem decisão se à colocará em pauta para a votação este ano, ou em 2018.

A greve de fome, em Brasília, iniciou no dia 5 de dezembro e busca denunciar e barrar a Reforma da Previdência que se aprovada irá afetar os trabalhadores do campo e da cidade, em especial as mulheres.

A FUP emitiu nota pública no primeiro dia de greve de fome dos companheiros do MPA, se solidarizando com o movimento e conclamando o apoio de toda a população brasileira à luta contra a reforma da Previdência Social.

Via MPA

Mídia