Parente quer reduzir Petrobrás a pó, como fez com a Bunge Fertilizantes

Quinta, 15 Setembro 2016 17:52

Na segunda-feira, 19, Pedro Parente submeterá ao Conselho de Administração da Petrobrás sua proposta para o novo plano de negócios da empresa, que, segundo adiantou em entrevista ao Estadão, redefinirá a cada ano os projetos de investimentos prioritários, tomando como princípio a eficiência dos gastos.

Para isso, pretende manter até 2018 o ritmo acelerado de venda de ativos, mandando às favas os interesses nacionais para alimentar o apetite voraz do mercado.

“O que não faz parte do negócio principal da empresa, é venda pura e simples. Naquilo que faz sentido estratégico, a prioridade é parceria”, afirmou Pedro Parente ao Estadão, garantindo que “em cinco anos a Petrobrás terá virado a página”.

A receita é a mesma que aplicou na Bunge, quando presidiu a multinacional no Brasil entre 2010 e 2014. A reestruturação que ele promoveu levou a empresa a abandonar o mercado de fertilizantes, onde era uma das líderes do setor. Em um período de três anos, a Bunge vendeu todos os ativos (usinas, fábricas, distribuição), mesmo sendo o Brasil o quarto maior mercado de fertilizantes do planeta.   

Apesar da economia do país estar a pleno vapor nos cinco anos em que Pedro Parente presidiu a Bunge, sua passagem pela empresa deixou um rastro de prejuízos, que só na área operacional resultaram em US$ 216 milhões negativos, entre 2013 e 2014.

É com esse histórico que ele quer salvar a Petrobrás? Se o seu plano de negócios for aprovado pelo Conselho de Administração, em cinco anos não sobrará nada da companhia. Vai ser de fato, uma página virada na história do país.

FUP

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram