Pacto colonial nunca mais!

Terça, 26 Maio 2015 15:37

jose carlos artigo

 

Por José Carlos dos Santos, trabalhador da Petrobrás, onde é técnico de manutenção elétrica na P-48. Zé Carlos também e graduado em Comunicação Social

Dizem que a história se repete, mas, na verdade, o que acontece é que quem tem poder não quer perdê-lo, nem deixar que os países que estejam em crescimento obtenham vida própria e tornem-se autosuficientes.

O que foi o pacto colonial?

O Pacto Colonial, ou Exclusivo Comercial Metropolitano, foi um sistema de leis e normas que as metrópoles empunhavam às suas colônias durante o período colonial. Isso significa que as metrópoles seriam os países que se beneficiavam dos produtos e da atividade econômica de pequenos territórios, que seriam as colônias.

As leis introduzidas no Pacto tinham como objetivo principal garantir que as atividades econômicas das colônias gerassem lucros para a metrópole e que, também, as colônias comprassem e vendessem produtos somente para a metrópole. Desta forma, os lucros omitidos não fariam parte do mercado internacional.

Este sistema do Pacto não ordenava somente a total economia entre metrópole e colônia, mas também regulamentava a atividade político-militar e as disposições jurídicas entre o país (que seria a metrópole) e o território (que seria a colônia). Exemplos de metrópoles e colônias conhecidas são de Portugal (metrópole) e o Brasil (colônia), há cinco séculos atrás, e países da Europa (metrópole) que possuíam colônias na América.

No período deste pacto havia matéria prima em abundância como o Pau Brasil, pedras preciosas, especiarias etc. Não havia tecnologia para exploração e o povo tinha, mas não como sabia usá-la nem beneficiar-se dela para agregar valor. Não se sabia nem o valor, ao contrário da metrópole  que detinha todo o conhecimento a extração de riquezas e do comércio de mercadorias.O que favoreceu esta situação foi a falta de estrutura administrativa, a mão de obra escrava, matéria prima e abundância e sem controle.

Agora, apesar de estarmos em uma época que mudou graças a um governo do povo, o mundo não mudou, nem mesmo a ganância dos poderosos que querem a qualquer custo nos tirar o Pré-sal .Declaram que não temos como explorá-lo.

Hoje temos matéria prima em abundância, reservas de óleo novo, com comprovado potencial de exploração, jazidas de minerais para toda cadeia produtiva de aços e derivados, temos pólos petroquímicos prontos e em construção, escolas, escolas técnicas, universidades, centros de pesquisas, a maior e mais preparada companhia de exploração de petróleo. Temos de tudo para sermos uma nação autosufuciente e capaz de dar a seu povo  uma vida melhor para todos.

Porém a metrolpole continua nos assediando, através de seus emissários que são os poderosos que estão por aqui,figindo de brasileiros, mas matém suas reservas financeiras  e social lá fora na metrópole, são os metropolitanos  vivem ,nos condados e paraísos ficais se revestem de  amigos do povo , mas do povo só quer o sangue!

  A  PL4330 é prova(mão de obra escrava e baixo custo) deste assédio  para aumentar o lucro dos metropolitanos. Querem saquear o pré-sal, e as montanhas de Minas Gerais, a floresta amazônica  e levar toda a materia prima transformá-la  e depois nos vender seus produtos com o preço que quiserem reeditando de forma moderna o Pacto Colonial, mas nós brasileiros não vamos permitir isso, porque somos um povo forte, que aprendeu com as lutas pelos nossos direitos, sabemos produzir e operar nosso potencial com seguraça e conhecimento.

Pacto colonial Nunca mais!

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram