Sindipetro inicia assembleias em PE e PB com ampla aprovação de indicativo de greve

Sexta, 26 Fevereiro 2021 16:46

Tiveram início as assembleias de deliberação de greve promovidas pelo Sindicato dos Petroleiros de Pernambuco e Paraíba. Até o momento, já foram realizadas quatro dos 14 encontros previstos para todas as bases do Sindipetro PEPB, onde os trabalhadores e trabalhadoras votam a implementação de uma greve – contra a retirada de direitos, a política de Paridade de Preços Internacionais (PPI), o sucateamento das unidades e entrega das refinarias e demais ativos da companhia – e a instauração de um estado de assembleia permanente enquanto durar o movimento paredista. Ambos os pontos de pauta vêm sendo aprovados pela categoria. As votações seguem até o dia 4 de março.

O processo de avaliação do indicativo de greve começou na noite de quinta-feira (25), no Terminal Aquaviário de Suape (TA Suape), seguido respectivamente por assembleias na Refinaria Abreu e Lima (RNEST), na Base João Pessoa e no Terminal de Cabedelo (ambos no estado da Paraíba) – todas realizadas na manhã desta sexta-feira (26). Uma outra assembleia está prevista para acontecer ainda no início da noite de hoje, novamente no TA Suape.

Durante as assembleias já realizadas, houveram longos debates sobre a implantação de uma nova greve, que se anuncia apenas um ano após a última paralisação promovida pelos petroleiros que, em fevereiro de 2020, resistiram bravamente contra o fechamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (FAFEN-PR) e a demissão dos mais de 1.000 (mil) trabalhadores e trabalhadoras (próprios e terceirizados) que operavam na unidade. Ainda durante os 20 dias de greve, a categoria desafiou o silêncio da imprensa tradicional, expondo os sucessivos descumprimentos do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), bem como os sistemáticos desinvestimentos na estatal e promovidos pelas gestões de Pedro Parente (2016-2018) e Roberto Castello Branco (2019-2021).

Agora, fortalecidos pela iminente queda de Castello Branco em resposta aos abusivos aumentos nos preços da gasolina e do diesel (provocados pelo PPI), o movimento sindical petroleiro visa intensificar a agenda de lutas contra a dolarização dos combustíveis produzidos no país, a retirada de direitos da categoria, o sucateamento das unidades da Petrobrás e a entrega do patrimônio nacional ao mercado financeiro internacional; além da necessidade de uma política pública que situe o Sistema Petrobrás como agente do desenvolvimento social e nacional.

Nos estados de Pernambuco e Paraíba, outras pautas de caráter local também figuram entre as exigências da categoria, que reivindica:

  • Recomposição de efetivos e retorno de “números mínimos” antes do O&M;
  • Imediato aumento no número de operadores, nos setores onde houve “partida” de novas unidades;
  • Fim das prorrogações excessivas de jornadas no turno de 12hs;
  • Participação do sindicato nas tratativas sobre transferências e realocações;
  • Fim da terceirização das atividades inerentes aos trabalhadores próprios do Sistema Petrobrás (Laboratório, SMS, Operação, entre outros);
  • Negociação junto ao sindicato de medidas de prevenção ao Covid-19, principalmente durante as paradas de manutenção;
  • Implementação de tabela de turno e da proposta de minuta da FUP, aprovada em assembleia;
  • Não implementação da Tabela “3×2” no turno da Refinaria;
  • Regulamentação do Teletrabalho;
  • Reembolso das horas descontadas indevidamente em 2021, descumprindo assim o acordo firmado no TST;
  • Pagamento imediato do saldo de banco de horas;
  • Interrupção e devolução das cobranças abusivas pela AMS;
  • Extinção do “Saldo AF” (indevidamente cobrado e descontado da categoria);
  • Melhoria nos transportes de turno dos trabalhadores;
  • Providências contra as constantes invasões e roubos dentro da refinaria (que colocam a vida de todos em risco iminente);
  • Reembolso dos adicionais e diferenças salariais, referente à redução salarial, ilegalmente praticada pela gestão durante a pandemia.

Confira a agenda das próximas assembleias:

26 de fevereiro

Terminal Aquaviário de Suape
Grupo: E
Horário: 19h

27 de fevereiro

Terminal Aquaviário de Suape
Grupo: D
Horário: 7h

Refinaria Abreu e Lima
Grupo: E
Horário: 19h

28 de fevereiro

Refinaria Abreu e Lima
Grupo: C
Horário: 7h

1 de março

Refinaria Abreu e Lima
Grupo: D
Horário: 19h

2 de março

Terminal Aquaviário de Suape
Grupos: B e Adm
Horário: 7h

Grupo: C
Horário: 19h

3 de março

Refinaria Abreu e Lima
Grupo: B
Horário: 7h

Sede do Sindicato
Grupo: Todos
Horário: 18h

4 de março

Gasoduto BR 232
Grupo:
 Adm
Horário: 7h

Publicado em SINDIPETRO-PE/PB

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.