Assembleias sobre proposta de ACT seguem até sábado

Quinta, 10 Setembro 2020 15:03

Nesta quinta-feira (10) são retomadas as assembleias virtuais promovidas pelo Sindipetro Paraná e Santa Catarina que debatem e deliberam sobre o indicativo do Conselho Deliberativo da FUP de aceitação da última contraproposta de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) apresentada pela gestão do Sistema Petrobrás. 

Três sessões estão previstas para este dia e contemplam os trabalhadores do regime de horário administrativo da Repar e SIX, assim como os aposentados e pensionistas da base de representação do Sindicato. As assembleias prosseguem até sábado (12), quando será divulgado o resultado oficial.  

A contraproposta da empresa prevê, entre outros, a manutenção por mais dois anos dos direitos da categoria petroleira no ACT, com garantia de emprego até 31 de agosto de 2022, ponto fundamental para a proposição do Conselho Deliberativo da FUP. Confira aqui os principais pontos da nova proposta. 

Participação nas Assembleias

A proporção inversa tem caracterizado a participação dos petroleiros do PR e SC nas assembleias sobre o ACT, ou seja, quanto menor o número de trabalhadores em determinada unidade, maior o índice de presença nos debates coletivos da categoria. 

Enquanto locais de trabalho como Terminais de Distribuição da Transpetro, que concentram pequeno número de empregados, registram alto nível de participação; bases maiores, como a Repar e a SIX, têm baixa constância de inscritos. “Os debates em andamento dizem respeito à vida de todos os empregados do Sistema Petrobrás, sejam eles ativos ou aposentados, da holding ou das subsidiárias. Portanto, é preciso que mais trabalhadores participem das assembleias, pois o assunto é de interesse direto. Não permita que outros decidam por você”, afirma o presidente do Sindipetro PR e SC, Alexandro Guilherme Jorge.  

[Via Suindipetro-PR/SC]

Publicado em SINDIPETRO-PR/SC

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.