Abertura do Congrenf discute impactos do golpe de 2016

Terça, 05 Junho 2018 14:46
Avalie este item
(0 votos)

Em clima de luta contra o golpe, aconteceu na noite desta segunda-feira, 04, a abertura da 14ª edição do Congresso dos Petroleiros do Norte Fluminense, na base do Sindipetro-NF de Macaé. 

O tema desta edição é "Os impactos do golpe de 2016 - Lula Livre". O coordenador do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra, fez questão de contextualizar o motivo do tema. "Para quem não sabe: Os petroleiros aprovaram em nível nacional com mais de 70% de assinaturas um manifesto contra a prisão do Lula, pelo Democracia e pela soberania do país. Afinal, se não fosse os concursos e a reconstrução feita pelo presidente Lula. Muitos de nós não estaríamos aqui hoje realizando essa discussão", explicou.

A composição da mesa de abertura mostrou a diversidade de representatividades que estão junto aos petroleiros na luta contra o golpe e pela defesa do Brasil. Também foi um momento para reforçar a presença das mulheres em grandes debates, já que foi notória a presença das mulheres tanto na mesa,quanto na plenária. 
Estiveram compondo a mesa os representantes do Crea, André Barbosa; da União Nacional dos Estudantes, Júlia Aguiar; do MST, Marcelo Souza; do PSOL, Leonardo Esteves; do PT, Estephane; do PCdoB, Ricardo Barbosa; da CTB, Fátima Maria; da CUT, Duda Queiroga; da FUP, Simão Zanardi; Da CNRQ, Chico Zé e do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra.

Para encerrar a mesa, Tezeu falou ainda um pouco sobre a importância das greves para a queda do Parente. "Tentaram creditar exclusivamente aos caminhoneiros a queda do Pedro Parente. Mas acreditamos, que essa greve seria a jogada perfeita, que não teria chegado ao gol, se não fosse a greve dos petroleiros. Se não fosse o enfrentamento que nós fizemos", destacou Tezeu.

Em seguida, foi realizada a mesa de debate, com o tema "Conjuntura: O impactos do Golpe no Brasil", composta pelo petroleiro José Maria e pelo vereador de Macaé Marcel Silvano. Eles fizeram uma avaliação do atual cenário.

Marcel abriu sua fala falando do golpe que o Brasil sofreu em 2016 e que vem sofrendo todos os dias desde então. O vereador também falou sobre a criminalização daqueles que estão na luta. "A prisão do Lula é uma injustiça contra todos. Trazendo para nossa realidade, vemos o retrocesso dos avanços no interior. De 13 anos para cá, a Região conquistou um Instituto Federal para formar mão de obra, faculdade e universidade públicas, essas que quase fecharam as portas após o golpe. Agora, são 32 mil postos de trabalhos fechados. 15% da população desempregada. Pessoas que estavam se alimentando melhor voltando a cozinhar a lenha", listou o vereador, que lamentou ainda o aumento da violência na região, consequência dessa redução na qualidade de vida;E destacou ainda a violência contra companheiros de luta como Mariele. 

O petroleiro José Maria também destacou os transtornos causados pelo golpe e frisou que essa é a hora do povo retomar o Brasil. "Esse ano vai ser decisivo para nossas vidas. Ou a gente retoma o Brasil ou vamos perder o pouco que temos. Eles já estão fazendo tudo isso, através do golpe, imagina se eles são legitimados pelo voto nas urnas", questionou Zé Maria.

[Via Sindipetro-NF]

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram