Sindicato lança avatar contra a venda da Petrobrás

Sexta, 25 Agosto 2017 15:13
http://www.sindipetro-es.org.br/wp-content/uploads/2017/08/faca-parte-da-campanha-contra-a-venda-da-petrobras-e-vista-o-nosso-avatar-300x177.png 300w" sizes="(max-width: 656px) 100vw, 656px" style="box-sizing: border-box; margin: 0px; padding: 0px; vertical-align: middle; max-width: 100%; height: auto;">

Sindipetro-ES lançou nesta quarta-feira, 23 de agosto, um avatar no Facebook, convidando as pessoas para trocarem suas fotos de perfil e aderir à campanha contra a venda da Petrobrás.  Para trocar a sua foto de perfil, basta clicar no link https://goo.gl/Jk1Vgs e seguir o passo a passo da imagem abaixo.

Mais uma vez, nós estamos alertando sobre a política de entrega da empresa, que repete o roteiro do governo FHC, que só gerou desemprego e perda de recursos importantes. No dia 28 de julho, denunciamos a venda de 74 plataformas no país, pondo em risco cerca de 10 mil empregos. Além disso, a privatização dessas unidades representaria um rombo de cerca de US$ 1 bilhão por ano.

O Sindipetro-NF fez um “trancaço” na base de Imbetiba, em Macaé, no dia 31 de julho. O coordenador geral do sindicato, Tezeu Bezerra, disse que o protesto serviu para conscientizar os trabalhadores sobre as perdas que a categoria e o Brasil podem sofrer. “Precisamos enfrentar esses entreguistas e construir uma nova greve geral”.

Em entrevista ao Valor Econômico, no dia 08/08/17, o presidente da Petrobrás, Pedro Parente afirmou que a venda de ativos, como os campos terrestres, é importante para a reduzir o endividamento da empresa e atrair investimentos gringos. Ele também desvalorizou os trabalhadores dos campos como justificativa para o desmonte.

“Os desinvestimentos vão atrair aplicações de terceiros em áreas como campos terrestres, que não são mais o foco da Petrobrás. Não somos os melhores operadores de campos terrestres”, afirmou Parente.

Como a Petrobrás não é boa se somos a única empresa que atua nesse tipo de exploração?

Nova Transportadora Sudeste – NTS

Cerca de 2 mil km da malha de dutos da subsidiária TAG, separada da NTS, foram vendidos a uma empresa anadense pelo valor de US$ 4,23 bilhões. No entanto, a Petrobrás está pagando US$ 1 bilhão por ano pelo aluguel da malha. Ou seja, em um claro arrendamento do ativo, a estatal terá devolvido o valor recebido pelos canadenses em quatro anos.

Por que a Petrobrás não pode ser vendida?

Os ativos já vendidos ou em processo de venda podem render US$ 12,8 bilhões. Sabemos muito bem que este valor é bem abaixo do que a empresa representa, mas é o resultado da tentativa de rebaixar a empresa. Ou seja, só temos a perder com isso.

A sociedade sairá fragorosamente derrotada desse processo. A entrega do pré-sal representa deixar a saúde, educação e cultura às traças. Os preços de produtos, como o gás de cozinha, tendem a aumentar muito.

O desmonte da Petrobrás afeta quem trabalha no entorno da empresa, reduzindo as atividades econômicas nas regiões e aumentando o desemprego.

Os trabalhadores da Petrobrás também serão derrotados. A privatização e a terceirização das atividades-fim são dois crimes que vão acabar de vez com as relações de trabalho.

Estamos sofrendo várias derrotas com a queda da CLT e a possível reforma da Previdência. Mas a luta contra os golpistas tem que continuar!

Fonte:Sindipetro-ES

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram