Debates no Unificado esclarecem aposentados sobre Petros e Benefício Farmácia

Quinta, 17 Setembro 2015 17:26

Para esclarecer aposentados e pensionistas sobre a situação do Benefício Farmácia e o balanço da Petros, o diretor da FUP e conselheiro do Fundo de Pensão, Paulo Cesar Martin, o PC, participou esta semana de debates nas regionais Mauá, São Paulo e Campinas. Também estiveram presentes nos encontros o diretor da Secretaria de Aposentados da FUP e candidato ao Conselho Fiscal da Petros, Daniel Samarate e o diretor da Secretaria de Previdência da Federação, Francisco Rocha Ramos, o Chicão.

PC iniciou o bate-papo falando sobre a política de desinvestimentos da Petrobrás e os prejuízos que esse plano pode trazer ao país. Comentou ainda sobre a forma de negociação apresentada pela empresa, que tem o claro objetivo de enfraquecer a organização dos trabalhadores. Mas os temas mais questionados pelos participantes foram o Benefício Farmácia e a Petros.

Planos Petros 1 e 2

O conselheiro esclareceu sobre a situação do caixa do Fundo de Pensão da Petrobrás e disse que o Plano Petros fechou 2014 com deficit acumulado de R$ 6,2 bilhões, mas que “esse resultado não afeta a solidez do plano, até porque os compromissos são de longo prazo”.

Com relação ao Plano Petros 2, que beneficia a maioria dos trabalhadores, a rentabilidade foi de 100%. O plano, disse PC, ultrapassou R$ 10 bilhões em patrimônio. “Em comparação a grandes planos existentes no mercado, como os do Banco do Brasil e da Caixa Econômica, por exemplo, o Plano Petros 2 é o mais novo, tem apenas oito anos de existência, e acumula mais dinheiro que os outros”, comentou. Segundo a Associação Brasileira de Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), é o maior plano do país na modalidade Contribuição Variável.

Benefício Farmácia

Preocupados com o rompimento do contrato da Petrobrás com a Global Saúde, os aposentados e pensionistas queriam saber como ficará a situação do Benefício Farmácia a partir de agora. “A Petrobrás anunciou que vai contratar uma nova operadora e, durante o período de transição, está suspensa a cobrança da mensalidade relativa ao Benefício Farmácia e o desconto de remédios nas redes de drogarias e farmácias”, esclareceu o conselheiro.

Ele explicou ainda que os medicamentos de alto custo e oncológicos continuarão a ser fornecidos aos usuários. “Quem faz uso desses medicamentos devem solicitá-los à Petrobrás, enviando email para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Nessa fase de transição, esses remédios serão providenciados diretamente pela estatal”, avisou.

Em relação ao sistema delivery, PC informou que o reembolso será feito posteriormente, assim que uma nova empresa for contratada. Para garantir o recebimento, o conselheiro orienta os beneficiários a guardarem a receita médica e a nota fiscal da compra. “No caso das pessoas que já encaminharam o pedido de reembolso, antes da rescisão do contrato com a Global, o processo segue normalmente”, informou.

Segundo o conselheiro, a tarefa da FUP e dos sindicatos, a partir de agora, é pressionar a Petrobrás para que uma nova empresa assuma a operação do Benefício Farmácia. “E é necessário que isso aconteça o mais rápido possível”, concluiu.

Fonte: Sindipetro Unificado de São Paulo

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram