Como retaliação, Petrobrás barra dirigentes do Unificado

Quinta, 10 Setembro 2015 16:49

A direção do Unificado foi impedida de entrar nas unidades do sistema Petrobrás nesta quinta-feira, dia 10 de setembro. Desde as assembleias que aprovaram o estado de greve, os dirigentes sindicais vinham sofrendo retaliações por parte da empresa. Na ocasião, os crachás dos sindicalistas foram bloqueados e a entrada só era permitida com autorização da gerência local.

A prática antissindical foi ampliada após a FUP divulgar a realização da greve nacional e por tempo indeterminado. A partir daí a entrada dos diretores do Sindicato passou a ser proibida em algumas unidades, como a Recap e os terminais da Transpetro.

Na Replan, os dirigentes só conseguiram entrar na refinaria nesta semana porque fizeram um acordo com a gerência. O acesso só era liberado após a divulgação prévia do roteiro dos setores que seriam visitados. Mesmo assim, eles eram seguidos e fiscalizados por inspetores de segurança.

Hoje, entretanto, não houve permissão de acesso. Segundo informações da gerência da Replan, “a entrada foi totalmente bloqueada por ordem corporativa e sem possibilidade de acordo”. A medida teria sido tomada como retaliação ao não comparecimento da direção da FUP na reunião convocada pela Petrobrás para a tarde de hoje.

O Sindicato repudia essa prática, que impede o diálogo com os trabalhadores e os dirigentes de se manifestarem de forma democrática, e informa que já está tomando as providências necessárias para que essa situação seja solucionada o mais breve possível. 

Fonte: Sindipetro Unificado de São Paulo

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram