Petroleiros do ES também se mobilizaram pelo fim da insegurança na Petrobrás

Segunda, 25 Agosto 2014 09:21

alt

Para a categoria, a morte no trabalho é algo inaceitável e, por isso, na última sexta-feira (22), os petroleiros pararam para refletir sobre as condições de segurança na Petrobrás e lutar para impedir que outros acidentes ceifem vidas. No Edivit, area administrativa do Espirito Santo, cerca de 50 trabalhadores se reuniram das 07:30 h às 09:00 h. 

alt

A Direção do Sindipetro-ES mobilizou os trabalhadores com a panfletagem do Primeira Mão e fez um arrastão em todos os blocos do prédio convidando todos os petroleiros (próprios e terceirizados) para um Bate Papo. Após às 09:30 h, os diretores do Sindipetro-ES participaram da SIPAT integrada e homenageou os trabalhadores com 24 orquídeas, simbolizando cada acidente acontecido neste ano.

A postura da Petrobrás em relação à segurança revela um escárnio. Produção ao máximo e investe o mínimo. Protegida pelos procedimentos, fica fácil culpar trabalhadores pelos acidentes, que na visão da empresa se tornam vítimas de suas próprias ações. Assim, permanece isenta da responsabilidade até a próxima tragédia de grandes proporções, que não há procedimento que sirva como escudo.

O diretor do Sindipetro-ES e suplente da FUP, Davidson Lomba frisou que hoje iniciou-se uma vigília do sindicato em prol à defesa da vida dos trabalhadores petroleiros do sistema, pois é inaceitavel ter que chorar como viuvas pelos nossos colegas mortos. Chega de luto! Vamos à luta!

Lembraremos das vítimas em respeito aos companheiros tombados no trabalho e lutaremos para nunca mais acontecer! Antonio Rafael Santana, presente!

 

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram