Sucesso do Congresso regional é afirmação sindical e compromisso com os petroleiros

Terça, 03 Julho 2012 13:34

Sindipetro BA

Apesar de ter apenas pouco mais de um semestre de recriado, o Sindipetro Bahia realizou o vitorioso 1º Congresso dos Petroleiros da Bahia neste final de semana de feriadão (2 de julho), no Hotel Vilamar, em Salvador. O Congresso foi aberto no sábado (30), com uma plenária com mais de 250 delegados eleitos representando os cerca de nove mil associados.

A cerimônia de abertura contou com a presença de representantes da CUT, FUP, CNQ, Industri All, DIEESE, Astape, PT, PCdoB, CTB e Psol.

A abertura do congresso foi precedida por um ato ecumênico aberto a todas as representações religiosas, o pastor Joel Zeferino ressaltou que é preciso olhar para o futuro e acreditar que é possível continuar lutando.

Ana Georgina Dias, coordenadora técnica da DIEESE, falou da importância da estatal responsável por 14% de toda a riqueza gerada no país e lembrou que a organização sindical dos petroleiros é responsável pelo sucesso e rico histórico de conquistas sócioeconômicas da categoria.

Em seguida, o presidente da CUT Bahia e diretor do Sindipetro Bahia, Cedro Costa, reafirmou a importância da categoria petroleira no desenvolvimento da economia brasileira e baiana.

Para o coordenador da FUP, Antônio Moraes, a história mostra que os petroleiros souberam olhar além do seu próprio “umbigo”, em muitas vezes liderando as mobilizações dos movimentos sindicais e atuando com firmeza no campo político na defesa da classe trabalhadora. Sérgio Novaes representou a Industri All, entidade recém-criada que substituiu a ICEM e que reúne atualmente cerca de 55 milhões de filiados no mundo, relatou a importância do recém realizado pacto global entre a Petrobras, FUP e Industri All ( ex-ICEM) conquista dos trabalhadores petroleiros brasileiros, exemplo de luta para todo o mundo do trabalho.

Os diretores Edson Almeida e Henrique Crispim destacaram o esforço e trabalho árduo da comissão organizadora, dos funcionários do sindicato e equipe de apoio, para o êxito dos trabalhos no Congresso.

O diretor de imprensa, Leonardo Urpia, demonstrou o acerto de se transmitir tudo que se passou no Congresso, em tempo real e direto do hotel, através do site do sindicato (www.sindipetroba.org.br). Todo o trabalho - vídeos, fotos, trabalho dos grupos e entrevistas – está disponível no site e breve será editado o documentário do evento.   

Já o coordenador geral do Sindipetro Bahia e membro do Conselho Deliberativo da Petros, Paulo César Martin, revelou sua satisfação e alegria pela aprovação do Fundo de Greve e do processo que mostra a metodologia que está sendo adotada para a separação das contas e da divisão patrimonial dos sindicatos (químicos e petroleiros). Ele acha necessário também se ficar atento para o futuro da categoria petroleira, quando o foco é a política relacionada à contratação de pessoal.


Plenária aprova Regimento Interno e Fundo de Greve

Com a instalação da mesa e início das atividades do Congresso, a plenária referendou a proposta da Comissão Organizadora e aprovou o regimento interno, depois de intenso debate no primeiro dia do Congresso dos Petroleiros, no sábado (30\6), por 111 votos a zero, aclamando todos os inscritos como delegados eleitos, devido ao número de inscritos ser inferior ao número de vagas existentes para o Congresso.


APRESENTAÇAO DE RECEITAS E DESPESAS

No domingo (1/7), o Congresso começou às 9h com a realização de uma assembleia geral extraordinária, devidamente convocada por edital e publicação em nosso boletim, onde a diretoria do Sindipetro Bahia apresentou o demonstrativo de despesas e receitas de 2007 a 2010 do Sindicato do Ramo Químico e Petroleiro da Bahia.

O assessor jurídico do Sindipetro Bahia, Clériston Bulhões, esclareceu sobre o processo de desunificação dos dois sindicatos (químicos e petroleiros). Somente a partir de 4 de abril o Sindipetro Bahia passou a ter o CNPJ; o pedido de registro do sindicato foi também protocolado no Ministério do Trabalho e Emprego.


Os mais de 250 delegados eleitos entenderam os esclarecimentos prestados pela assessoria jurídica e a plenária referendou, através do voto, a metodologia que está sendo adotada para a realização da separação das contas e da divisão patrimonial dos sindicatos (químicos e petroleiros).

Durante a tarde, os quatro grupos temáticos debateram as 60 teses inscritas no Congresso e fizeram um trabalho minucioso dos assuntos. Discutiu-se Sindicalismo e Organização Sindical, Benefícios, Seguridade, Políticas Sociais e Organização dos Aposentados e Pensionistas, Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Novas Tecnologias e Organização do Setor Privado e dos Trabalhadores Terceirizados.

Após essa etapa e as conclusões levadas ao plenário, este aprovou a pauta que agora fará parte das reivindicações a serem encaminhadas na próxima campanha reivindicatória. Foram também aprovadas moções de repúdio a não emissão da CAT e à prática de assédio moral na Petrobras. A plenária elegeu ainda, em chapa única, os delegados que participarão do Plenafup.


Veja algumas das propostas que serão encaminhadas para discussão na
Plenária da FUP, que acontece em agosto:
 
- FUNDO DE GREVE

  - Que os exames médicos periódicos sejam realizados nas cidades onde os trabalhadores residem;
  - AMS Plano 28 tenha a mesma regra de desconto do AMS pequeno risco,
  - Que a CIPA seja toda eleita e que seu presidente seja indicado pelos trabalhadores.
  - A Petrobras deve garantir 100% na remuneração do trabalhador aposentado.
  - AMS para pais e mães.
  - Por uma regra que garanta uma PLR justa e igualitária.

A comissão organizadora do Congresso composta por Carlindo, Crispim, Edson Almeida, Machado e Marcos André, considerou positiva a participação da categoria. Delegados aposentados e da ativa, a exemplo de Nelson Raulino (Rlam), José Reis Bosque de Oliveira, Dielson Santos Nazaré (Serrinha), Carlos Alberto Mutti (Santo Amaro), Antônia Valença, Leonardo Aquino (Fafen) e Sinésio Reis de Carvalho (Rlam) participaram ativamente das atividades nos dois dias e ressaltaram a importância da entidade em realizar o Congresso, local onde ocorre o debate do que interessa aos trabalhadores.

Encerrado os trabalhos, já às 21h30 do domingo (1\7), todos os delegados eleitos participaram do jantar de confraternização.

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram