Ato público lembra hoje 29 anos da tragédia de Enchova

Sexta, 16 Agosto 2013 13:51

Sindipetro NF

Diretores do Sindipetro-NF lembram hoje, por meio de atos públicos no saguão do aeroporto de Cabo Frio, a passagem dos 29 anos da tragédia de Enchova. A unidade esteve entre as que tiveram embarque realizado pelo local nesta manhã.

Sindicalistas ergueram faixas que lembravam o acidente e falaram sobre a falta de uma política da Petrobrás para a área de segurança. A tragédia de Enchova ocorreu em 16 de agosto de 1984 e causou a morte de 37 petroleiros, além de ferimentos em outros 19 trabalhadores.

De acordo com o diretor do NF Wilson Reis, que participa do protesto, o objetivo da manifestação é "chamar a atenção para o fato de a Petrobrás não ter aprendido nada sobre segurança quase três décadas depois da tragédia de Enchova".

Também acompanham os embarques e desembarques, e conversam com os trabalhadores sobre segurança, os diretores sindicais Cairo Garcia, Márcio dos Santos, Marluzio Dantas e Norton Almeida.

Editorial do boletim Nascente, publicação do Sindipetro-NF que circula hoje nas bases petroleiras da região, lembrou a passagem da data. "Um vazamento em um dos poços conectados à plataforma, operada pela empresa Pozos, provocou uma explosão, seguida de incêndio prolongado e evacuação do convés. Até hoje as causas não foram confirmadas. O acidente vitimou petroleiros que estavam dentro de uma das baleeiras utilizadas para evacuação da unidade. No procedimento de saída, houve o rompimento do cabo do turco, o que provocou a queda da embarcação de abandono", registrou o boletim.

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram