Na mobilização do Terminal de Cabiúnas, trabalhadores vão resgatar antiga forma da passagem de serviço

Quinta, 01 Novembro 2012 11:04

Sindipetro NF


Ônibus do sindicato levarão trabalhadores dos turnos entre os próximos dias 5 e 8. Petroleiros registrarão o horário de entrada no portão da unidade, como sempre foi feito. Redução do tempo na passagem de serviço aumenta a insegurança.

Os petroleiros de Cabiúnas estão aprovando em assembleias a realização de mobilização na próxima semana. A última assembleia na base estava prevista para às 23h de terça-feira. O protesto vai durar da entrada do turno das 15h da segunda, 5, até a saída do turno às 7 horas da quinta, 8.

Durante o protesto, com a utilização de ônibus fretados pelo Sindipetro-NF, a categoria vai resgatar a forma como sempre foi feita a passagem de serviço no terminal, com o registro do tempo da hora extra da troca de turno. Esse tempo será medido durante a mobilização. O quadro ao lado mostra impactos das medidas tomadas pela empresa.


Gerência autoritária
Uma série de medidas recentes, tomadas pela gerência do terminal, têm gerado transtornos para os trabalhadores e, em muitos casos, configuram formas de retaliações contra as mobilizações na base. Entre as atitudes recentes que geram problemas na ambiência esteve, até mesmo, o arrombamento dos armários individuais dos trabalhadores, na última quarta, 24, em gesto autoritário e inaceitável.
Barra do Furado
O Sindipetro-NF protocolou na sexta, 26, ofício na gerência do Tecab para cobrar providências em relação à denúncia publicada na edição passada do Nascente, sobre as precárias condições de trabalho dos operadores da Estação de Barra do Furado, que atuam sozinhos e expostos a riscos. “O sindicato obteve informação dos trabalhadores de que a empresa criou, arbitrariamente, uma comissão para apurar a situação da estação, sem participação do NF, numa tentativa de desqualificar a denúncia da entidade”, protesta o diretor sindical Gedson Almeida, lotado na base. 
O caso também será levado pelo sindicato à comissão tripartite da NR-10 e, se necessário, aos órgãos fiscalizadores.

Procedimentos para a mobilização

1 – No início do turno todos  os trabalhadores procederão da seguinte forma:
a. Descer do ônibus parado pelo sindicato na entrada do terminal.
b. Marcar o ponto nas catracas do portão do terminal e ir para os vestiários.
c. Não marcar o ponto nos vestiários.
2 – No fim do turno todos os trabalhadores procederão da seguinte forma:
a. Realizar a passagem de serviço de forma criteriosa priorizando a segurança das operações, utilizando o tempo que for necessário.
b. Se o ônibus não aguardar, caminhar até o vestiário.
c. Realizar a higienização no vestiário adequadamente e priorizando a saúde, utilizando o tempo que for necessário.
d. Não marcar o ponto nos vestiários.
e. Dirigir-se, caminhando, para a portaria e marcar o ponto na catraca do portão.
f. Se o ônibus não aguardar, seguir para os ônibus do sindicato.

Os impactos para os trabalhadores

Medida da Transpetro x  Efeito para os trabalhadores

Troca do horário de entrada do turno e do ADM, desrespeitando compromisso de acatar a decisão em contrário dos trabalhadores em assembleia. x Provoca insatisfação geral. Interfere na vida pessoal dos trabalhadores.

Determinação de que os ônibus cheguem no horário exato. x Os ônibus trafegam ora lentamente pelo acostamento, ora correndo demais na rodovia para cumprir o horário. Risco de acidente e abordagem do veículo por ladrões.

Determinação de saída dos ônibus da área aos 20 minutos depois da hora de entrada.x Redução do tempo disponível para a passagem de serviço. Risco para a segurança das operações.

Determinação de saída dos ônibus do terminal  aos 30 minutos depois da hora de entrada. x Redução do tempo de troca de roupa e higienização, que feita de forma inadequada pode provocar o risco de contaminação do ambiente familiar do trabalhador.

Mudança do local do ponto, passando a entrar e sair direto com o ônibus, de forma a registrar o ponto no vestiário.x Discriminação com os trabalhadores do turno. Expor o terminal ao risco de entrada de pessoas não autorizadas. Tentativa de impedir o contato dos trabalhadores com o sindicato. Descumprimento do ACT e legislação vigente.

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram