Na Bacia de Campos, 42 unidades estão no movimento grevista

Terça, 03 Novembro 2015 09:19

[Foto: Heron Barroso]

Na noite do segundo dia de greve, 42 plataformas aderiram ao movimento. Destas, 25 estão completamente paradas, oito estão com poços restringidos (com reduções na produção que variam de 20% a 97%) e nove foram passadas para as equipes de "pelegos" (contingência formada pela Petrobrás).

Estão no movimento de greve as plataformas PCE-1, PGP-1, PPM-1, PPG-1, PNA-1, PNA-2, PCH-1, PCH-2, PVM-1, PVM-2, PVM-3, P-07, P-08, P-09, P-12, P-15, P-18, P-19, P-20, P-25, P-26, P-31, P-32, P-33, P-35, P-37, P-40, P-47, P-48, P-50, P-51, P-52, P-53, P-54, P-55, P-56, P-61, P-62, P-63, P-65 e UMS Cidade de Cabo Frio e São João da Barra.

No Terminal de Cabiúnas (Tecab), em Macaé, os grupos que entraram a partir das 23h do dia 1, seguem o indicativo do Sindipetro-NF e ocupam o terminal, porém sem o controle da produção.

Segundo a diretoria do sindicato, durante a greve o contrato de trabalho está suspenso e não há subordinação. Quem informa e negocia pela categoria é o sindicato!

Fonte: Sindipetro NF

Mídia

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram