Em Campos, petroleiros fazem "trancaço" no heliporto do Farol

Quinta, 29 Setembro 2016 08:42

O Norte Fluminense está vivendo um momento de muitas perseguições e punições aos seus trabalhadores, que se intensificou com a nomeação de Pedro Parente como presidente da Patrobrás. Está atingindo a todos indiscriminadamente. Até um diretor sindical foi punido com transferência de P-19 para PCH-1.

A empresa joga covardemente contra os trabalhadores. Numa tentativa de desmobilizar a categoria e jogá-la contra o movimento sindical, plantando mentiras e boatos em seu meio. Por outro lado, o sindicato alerta à categoria que não se deixe enganar e se contaminar por essas atitudes.

Diante dessa conjuntura, o Sindipetro-NF inicia hoje, 29, uma mobilização chamada Operação Para Pedro, que representa seguir rigidamente os procedimentos de segurança da Companhia. Essa operação foi aprovada pela categoria nas últimas assembleias realizadas na Bacia de Campos.

Está provado que só com muita luta, a classe trabalhadora consegue barrar processos dos patrões. A conjuntura para os petroleiros não é das melhores. A Petrobrás está sob forte ataque do capital estrangeiro, sendo desmontada aos poucos, e nossos empregos estão em risco. Todos precisam se conscientizar que só a unidade pode mudar o que está sendo colocado.

"Por isso hoje, em Farol, não haverão vôos, marcando assim o acirramento da luta e o começo da operação "Para Pedro" " - afirma o diretor sindical Tezeu Bezerra.

Fonte: Sindipetro-NF

Última modificação em Segunda, 16 Janeiro 2017 18:48

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.

Instagram