A edição desta quinta-feira, 12, do programa semanal da FUP no Youtube, Seguridade e Cidadania, discute as ameaças e prejuízos do novo plano da Petros, Flexprev, para os participantes e assistidos dos PPSPs pós-70 e do PP2.

Recentemente, a direção da Petros divulgou a alteração dos regulamentos dos PPSPs pós-70 e do PP2 devido a um novo processo de migração para um novo plano de previdência complementar: o Flexprev.

Essa migração será oferecida somente aos participantes e assistidos que rescindiram seu contrato de trabalho na subsidiária da Petrobrás, a BR Distribuidora.

A FUP alerta que, apesar dessa migração estar restrita a esse grupo de participantes e assistidos, o processo pode prejudicar não somente os participantes e assistidos desse grupo, mas também todos os demais participantes e assistido dos PPSPs pos-70 e a grande maioria dos assistidos do PP2.

Para explicar a esses participantes e assistidos o que está em risco com o Flexprev, o programa Seguridade e Cidadania desta semana conversa com Luís Felippe Fonseca, assessor previdenciário da FUP, e Marcello Gonçalves, assessor juridico da Federação. 

Assista: 

Publicado em APOSENTADOS

A eleição para as vagas dos trabalhadores nos Conselhos da Petros entra na segunda semana e, mais do que nunca, é fundamental que a categoria se informe e vote em candidatos comprometidos com pautas coletivas. A FUP, seus sindicatos filiados e o grupo Cabeças Brancas (CB), do Rio de Janeiro, apoiam a chapa Juntos pela Petros, cuja plataforma gira em torno da defesa incondicional dos direitos dos participantes e assistidos, com candidaturas construídas coletivamente e preparadas para buscar alternativas que reduzam o máximo possível os impactos financeiros da Petros. 

A categoria tem a oportunidade de conhecer melhor os candidatos e as propostas da chapa Juntos Pela Petros participando das lives organizadas pelas entidades sindicais. Os petroleiros Rafael Crespo (53), que disputa a vaga no Conselho Deliberativo da Petros, e Felipe Grubba (43), que concorre à vaga do Conselho Fiscal, participaram esta semana de bate papo ao vivo no instagram com o coordenador da FUP, Deyvid Bacelar. Eles falaram sobre a importância desta eleição e os desafios que estão postos para os participantes e assistidos da Petros, que poderão tirar suas dúvidas, enviando perguntas pelo chat. 

Veja como foi a conversa com Felipe Grubba (43), candidado ao Conselho Fiscal:

 

Veja a integra da conversa com Rafael Crespo (53), candidato ao Conselho Deliberativo:

 

A votação para os Conselhos Deliberativo e Fiscal da Petros prossegue até o dia 28 de junho, através do site e do aplicativo da fundação ou por telefone. Confira abaixo como é fácil e rápido votar:

Pelo site www.petros.com.br

Com matrícula e senha em mãos, acesse a Área do Participante. Clique no banner sobre as eleições, que leva a uma página especial de votação. Vote e confirme suas escolhasnas chapas 43 para o CF e 53 para o CD

> Pelo aplicativo Petros App

Acesse o Petros App no Google Play: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.petros&hl=pt_BR&gl=US

Acesse o Petros App no App Store: https://apps.apple.com/br/app/petros-app/id1440476590

Com matrícula Petros e senha, a mesma utilizada no Portal Petros, entre no aplicativo. Na página inicial, de serviços, clique no banner eleições, que vai direcioná-lo para o ambiente especial de votação. Escolha seus candidatos 43 Felipe Grubba e Luiz Mario para conselho fiscal e 53 Rafael Crespo e Anselmo Braga para conselho deliberativo e confirme seus votos.

Importante: para exibir o banner de votação, o aplicativo precisa estar atualizado.

> Pelo telefone:  0800 721 8508

Ligue para 0800 721 8508 e forneça a senha específica para votar por telefone, que é individual, exclusiva para as eleições deste ano e dá acesso ao sistema uma única vez. Esta senha será enviada aos participantes por e-mail e SMS. Aqueles que não têm e-mail ou celular cadastrados na Fundação recebem a senha pelos Correios. Na votação por telefone, além da senha, o participante deverá informar o número de seu CPF e os dois últimos dígitos do seu ano de nascimento.

Confira as propostas da chapa Juntos pela Petroshttp://bit.ly/3voWbrE-programa-completo.

Conheça melhor os candidatos da chapa Juntos pela Petroshttp://bit.ly/3wHRwkY-candidatos 


Leia também:

Eleição na Petros: Candidatos alertam para chapas que defendem interesses da gestão


[Imprensa da FUP]

Publicado em Sistema Petrobrás

Nesta segunda-feira, 17 de maio, Dia Internacional de Combate à LGBTfobia, a FUP e a Frente Petroleira LGBT realizaram um debate ao vivo com a catergoria petroleira sobre conquistas e barreiras que ainda precisam ser superadas na luta por equidade na indústria de petróleo. Questões sobre gênero e sexualidade assumem cada vez mais centralidade nas pautas sindicais e políticas. Petroleiros e petroleiras LGBT+ realizaram uma conversa instigante sobre o tema, com a mediação do jornalista e ativista, Alexandre Gaspari (@bixavô). O debate foi transmitido pelas redes da FUP e dos sindicatos filiados, através do Facebook e do YouTube.

O dia 17 de maio foi escolhido como marco na luta contra a LGBTfobia pois foi nesta data, em 1990, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) deixou de considerar a homossexualidade como uma doença e um distúrbio mental. Apesar dessa importante conquista, pelo menos 69 países ainda criminalizam relacionamentos e pessoas que se assumem como LGBTI+, segundo relatório publicado em dezembro do ano passado pela International Lesbian, Gay, Bisexual, Trans and Intersex Association (Ilga). Nessas nações, homossexuais podem ser presos e até mesmo condenados à morte. 

Foi também em maio, há dez anos, que o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou a União Civil para casais homossexuais no Brasil. Desde então, o país passou por imensas transformações e quando recortamos para a questão dos direitos e luta política da comunidade LGBT, essa transformação se apresenta de maneira paradoxal: na esfera da política institucional a última década é marcada por retrocessos e avanços de grupos fundamentalistas que atuam cotidianamente contra qualquer avanço legislativo em prol das LGBT.

Ao mesmo tempo, o movimento tem conquistado importantes vitórias em várias esferas: nas artes, nas comunicações e, principalmente, na eleição de parlamentares às Assembleias Legislativas, Câmaras Municipais e, em menor escala, no Congresso Nacional, como destacam as pesquisadoras Regina Facchini e Isadora Lins França, do Núcleo Pagu de Estudos de Gênero, da Universidade Estadual de Campinas, no livro “Direitos em disputa: LGBTI+, poder e diferença no Brasil contemporâneo” (Editora Unicamp), que está sendo lançado esta semana.

Segundo as autoras, o livro "oferece um abrangente panorama, desenhado pelo conjunto dos artigos, percorrendo temas fundamentais para discussão sobre direitos na nossa sociedade: interseccionalidades em relação a classe, raça, gênero e geração, a pluralidade das formas de atuação dos movimentos sociais, produção científica, políticas públicas de saúde, de educação e impactos do conservadorismo”. Veja a entrevista no site da Revista Fórum.

Reveja o debate que a FUP e a Frente Petroleira LGBT realizaram, com o tema "Respeito é bom e nós exigimos": 

[Da imprensa da FUP, com Revista Forum]

Publicado em Cidadania

O programa da FUP em parceria com a TV247 apresenta nesta quarta, 24, o tema Lockdown da Classe Trabalhadora e terá como convidados Paulo Galo, líder dos entregadores antifascistas, Luíza Batista, presidenta da Federação Nacional das Empregadas Domésticas, e Jailton Andrade, petroleiro e diretor do Sindipetro Bahia. Vamos falar de invisibilidade social, sistemas de controle e greve.

Invisível acontece toda quarta, às 14h nos canais da TV247 no Youtube e no Facebook.

Leia também: Conheça e participe dos programas semanais da FUP no YouTube

Divulgue, participe

YouTube: https://www.youtube.com/playlist?list=PL9AEHeaYiogLW7un45Up3VFmb5MSqwLOT

Facebook: https://www.facebook.com/Brasil247

 

 

Publicado em Movimentos Sociais

Você sabia que a FUP tem parcerias com canais da mídia alternativa, com programas semanais ao vivo no YouTube, onde são debatidos os mais diversos temas? Vale a pena conferir, assinar os canais e acionar o sininho na plataforma.

Nesta quarta, 03, o programa  Invisível – Além do petróleo, que estreou semana passada no canal da TV 247, receberá o petroleiro Tiago Franco, dos coletivos LGBT da FUP e da CUT-SP, em uma conversa com Élida Elena, vice-presidenta da UNE, e Kelvin Nicolas, da Direção Estadual do MST-SP e do Coletivo Nacional LGBT Sem-Terra. Eles vão falar sobre lutas por soberania e liberdade no Brasil, abordando a parceria histórica de suas entidades nas grandes questões nacionais, como a defesa da Petrobrás, bem como a importância de combater a opressão e a violência estruturante da sociedade. O programa conta com a mediação das jornalistas Dafne Ashton e Andréa Trus e vai ao ar todas as quartas, às 14h. Veja abaixo o link: 

Na quinta-feira, é o dia do já tradicional Fórum Sindical, programa semanal que a FUP e o Sindipetro-NF realizam em parceria com a Revista Fórum, com debates e análises de temas da realidade brasileira, sob a ótica dos trabalhadores. O programa vai ao ar sempre às 20h,  mediado pela jornalista Maria Frô e com a participação de um trabalhador ou trabalhadora da indústria de petróleo. Esta semana, haverá uma edição especial voltada para a temática das mulheres. A filósofa, artista visual, escritora e professora da Paris 8, Marcia Tiburi, será entrevistada pela petroleira Bárbara Bezerra, antropóloga e diretora do SindipetroNF; pela vereadora Liana Lins (PT/Recife), que é professora de Direito da UFPE, e pela ativista feminista Laura Astrolabio, advogada especialista em direito público, co-criadora da Tenda das Candidatas e articuladora política do movimento Mulheres Negras Decidem. Veja abaixo o link:

Além destes canais parceiros, a FUP também tem uma programação semanal em seu canal no YouTube, onde toda quinta-feira pela manhã recebe convidados para tratar de questões relacionadas à seguridade social dos trabalhadores. O programa Seguridade e Cidadania é mediado pelo diretor da FUP, Paulo César Martin, com debates semanais sobre questões como Petros e AMS, a partir das 10h.Veja abaixo o link:

Conheça também a parceria da FUP com a revista Carta Capital e adquira já a sua assinatura com descontos exclusivos para os petroleiros e petroleiras. Saiba mais aqui.

Publicado em Movimentos Sociais

Desde de janeiro deste ano, os petroleiros da ativa e, principalmente, os aposentados e pensionistas, foram surpreendidos com descontos abusivos da AMS.

A FUP e seus Sindicatos filiados, desde então, vem tentando entender o que estaria ocorrendo e buscando, de imediato, a suspensão desses descontos

Ja foram realizadas três reuniões com o RH da Petrobrás e uma reunião com a direção da Petros.

No programa da FUP das quintas, Seguridade e Cidadania, que vai ao ar ao vivo pelo canal do Youtube e pelo perfil do Facebook, nosso diretor de Seguridade, Aposentados e Políticas Sociais, Paulo César Martin, recebeu o também diretor da FUP, José Genivaldo Silva, membro da Comissão da AMS, para explicar o que está ocorrendo e o que vem sendo feito para resolver esse problema que tanto atormenta os aposentados e pensionistas. 

Silva, começou, no movimento sindical em 1978, no ABC Paulista, quando participou da criação da CUT e do PT. Ingressou na Petrobrás em dezembro de 1984, na RPBC (Cubatão/SP) como mecânico. Participou das greves dos petroleiros em 1994 e 1995, quando teve seu contrato de trabalho suspenso por 09 anos, sendo reintegrado no governo Lula em 2004, pela lei de anistia do senador Eduardo Dutra que viria a ser presidente Petrobrás no governo Lula. Foi presidente do sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista de 1991 a 1994 e Coordenador Nacional do Comando Nacional dos Petroleiros, entidade que antecedeu à FUP. Atualmente é integrante da Direção Nacional da FUP.

Assista, compartilhe, divulgue!

Youtube: https://youtu.be/6cVebmjcRq4

Facebook: https://www.facebook.com/fupetroleiros/posts/3827604180630581

 

Publicado em Sistema Petrobrás

Os aposentados e pensionistas do Sistema Petrobrás foram surpreendidos neste mês de janeiro com uma série de descontos indevidos nos demonstrativos da AMS. A situação é grave e a FUP já solicitou uma reunião emergencial com o RH para que esclareça o que está acontecendo. Os descontos aparecem com as mais diversas rubricas. Leia mais aqui.

Para explicar o que está ocorrendo e o que pode ser feito para impedir esses descontos indevidos, o programa semanal da FUP, Seguridade e Cidadania, transmitido todas as quintas, pelo canal do Youtube e pelo Facebook, recebeu hoje Rafael Crespo, diretor do Sindipetro NF e da FUP e membro da Comissão da AMS.

Veja a íntegra: 

 O programa Seguridade e Cidadania vai ao ar toda quinta-feira, às 10 horas, com apresentação do diretor de Seguridade e Aposentados da FUP, Paulo Cesar Martin.

[Imprensa da FUP]

Publicado em APOSENTADOS

Na live que a FUP realiza todas as quintas, pela manhã, os diretores da Secretaria de Seguridade, Aposentados e Políticas Sociais, Paulo César Martin e Marise Sansão, receberam esta semana convidados com os quais discutiram alternativas para melhorar a renda dos aposentados e pensionistas do Sistema Petrobrás.

"Os descontos dos PEDs de 2015 e 2018 e da AMS reduziram muito a renda dos aposentados e pensionistas. Alem disso, os assistidos não repactuados dos PPSPs, não tiveram reajuste este ano e os assistidos repactuados dos PPSPs e do PP2 tiveram um reajuste, muito pequeno. Esses fatos trouxeram desespero e aflição a grande maioria dessas pessoas", explica Paulo César.

O que fazer então? Para ajudar a responder essa pergunta, a FUP convidou Luiz Legnani, secretário Geral da COBAP, diretor da Federação dos Aposentados Pensionistas e Idosos de Santa Catarina, presidente da Associação dos Aposentados, Pensionistas e Idosos de Orleans-SC e ex presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa – CNDI  

Juntos, eles falaram sobre as alternativas para melhorar a renda dos aposentados e pensionistas.

Assista a integra: 

Publicado em APOSENTADOS

No programa Encontro com a categoria desta terça, 01/12, os diretores da FUP irão discutir os próximos passos da negociação da PLR com as empresas do Sistema Petrobrás. A live terá início às 19h, nos canais da FUP no Youtube e Facebook (veja abaixo).

Participam do Encontro, os diretores Cibele Vieira, Fernando Maia e Cláudio Nunes, que representam a FUP no Grupo de Trabalho que vem tratando da PLR com a Petrobrás e as subsidiárias. A mediação do debate será feita por Tadeu Porto, diretor de Comunicação da Federação.

Nova rodada de negociação começa quinta, 03/12

Após a rejeição massiva da proposta apresentada pela Petrobrás e subsidiárias com regras referentes à PLR de 2021 (com pagamento a ser feito em 2022), foi cobrada a retomada das negociações para buscar avanço nos principais pontos defendidos no GT. O RH da empresa agendou para quinta-feira, 03/12, uma nova reunião com a FUP.

Relembre como foram as reuniões anteriores

Nas sete reuniões anteriores do Grupo de Trabalho que discute a PLR, os representantes sindicais reforçaram que o regramento tem que atender a todos os trabalhadores do Sistema Petrobrás, independentemente da função que ocupe e da empresa em que atue. A FUP também cobrou que não haja impacto dos impairments (desvalorização de ativos) nos indicadores utilizados e que a PLR tenha um piso para que os resultados construídos coletivamente sejam distribuídos da forma mais igualitária possível entre os trabalhadores, sem o foco apenas na remuneração individual, como quer a gestão da empresa.

Outro ponto que a Federação deixou claro no GT foi que não pode haver redução de PLR por perseguições políticas e que o texto de penalidades deve deixar explícito que conflito de interesses é o que está previsto na lei, para que não haja distorção do conceito. Também foi cobrado que a Petrobrás volte a fazer o adiantamento da PLR no início do ano, como sempre foi praticado, e que o acordo do regramento tenha validade por dois anos, dando uma estabilidade para todos, assim como conquistamos no ACT.

Além disso, a FUP condenou a discrepância entre a política de remuneração dos acionistas, que receberão dividendos mesmo quando não houver lucro contábil, e a recusa da gestão da Petrobrás de manter o mesmo critério para os trabalhadores, como vigorava no antigo regramento da PLR.

Para assistir e participar do Encontro com a categoria, acesse os canais da FUP abaixo. A live começa às 19h e ficará gravada. 

YOUTUBE | https://youtu.be/khz42aCU3Xg

FACEBOOK | https://www.facebook.com/fupetroleiros/posts/3644781492246185

[Imprensa da FUP]

Publicado em Sistema Petrobrás

O Encontro com a categoria desta terça, 24, transmitiu a live do Sindipetro-NF sobre representação da mulher negra nos ambiente de trabalho, na academia, na política, na cultura, entre outros espaços de poder na sociedade brasileira.

Participaram do debate a diretora do Sindipetro-NF, Conceição de Maria, que também é escritora, formada em Letras e Pós Graduada em Literatura, a técnica em química, petroleira e também diretora do sindicato, Jancileide Morgado, a cientista social e mestranda em Ciências Políticas, Carine Passos, e a arquiteta e vereadora eleita do Rio de Janeiro, Tainá de Paula.

Veja abaixo a íntegra: 

Desigualdade na Petrobrás

Estudo feito pela subseção do Dieese na FUP revela a baixa representatividade de mulheres e homens pretos em cargos de gerência no Sistema Petrobrás. Segundo os relatórios da empresa e balanços financeiros e sociais analisados, o percentual de trabalhadores negros que ocupam cargos de gerência na holding e subsidiárias vem caindo. Em 2008, cerca de 30% das gerências eram ocupadas por petroleiras e petroleiros pretos. Em 2019, esse número caiu para 19,3% e chegou a 17,7% em 2018, o mais baixo índice desde o início da série histórica, revela o Dieese em entrevista dada à revista Carta Capital.

Analisando só a holding Petrobrás, dos 46.416 trabalhadores, 9,42% (4.374) são homens brancos em cargos de gerência, e 1,95%  (907) são mulheres brancas em cargos de gerência. Enquanto isso, somente 0,54% (252) são homens pretos em cargos de gerência, e 0,07% (31) são mulheres pretas nesses postos.

Segundo Cloviomar Cararine Pereira, técnico do Dieese na subseção da FUP e autor da análise, o objetivo foi mostrar que a tendência desigual no mercado de trabalho brasileiro entre brancos e negros se repete de forma pior no alto escalão da Petrobras.

Para isso, ele faz uma comparação com dados da Pesquisa Nacional de Amostras por Domicílio (PNAD Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Enquanto, na Petrobras, somente 0,54% do quadro de funcionários total é de homens negros em cargos de gerência, o Brasil aponta percentual médio de 2,4%. No caso das mulheres negras, se na Petrobras é de 0,07%, o país tem média de 1,9%.

“Se, no Brasil, os cargos de decisão são ocupados, em sua maioria, por homens brancos e mulheres brancas, no caso da Petrobras isso também acontece, com uma diferença ainda maior”, comenta Cararine.

 

[Com informações da Carta Capital]

Publicado em Sistema Petrobrás
Página 1 de 3

Image

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) foi criada em 1994, fruto da evolução histórica do movimento sindical petroleiro no Brasil, desde a criação da Petrobrás, em 1953. É uma entidade autônoma, independente do Estado, dos patrões e dos partidos políticos e com forte inserção em suas bases.