updated 11:28 AM CDT, Jun 23, 2018
Domingo, 24 de Junho de 2018

FUP intensifica luta para reverter privataria de Parente

A luta contra a privatização da Petrobrás não pode perder fôlego após a saída de Pedro Parente. Pelo contrário. A entrega do comando da empresa a Ivan Monteiro, braço direito do ex-presidente e um dos principais articuladores dos desinvestimentos e vendas de ativos, reforça a necessidade de ampliação das frentes de luta em defesa da estatal.

A FUP e seus sindicatos estarão semana que vem em Curitiba para definir os próximos passos de enfrentamento da categoria. Conforme encaminhado no último Conselho Deliberativo, as direções sindicais voltam a se reunir no dia 12 para dar continuidade à construção da greve por tempo indeterminado, que foi amplamente aprovada pelos petroleiros.

Outras agendas de luta estão sendo definidas em Brasília, através de diversas ações parlamentares para estancar e tentar reverter o legado de destruição deixado por Pedro Parente. Uma delas é a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), cujo pedido foi protocolado no Senado pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), para abrir a “caixa preta” da política de preços da Petrobrás e revelar os interesses que estão por trás do desmonte do parque de refino, da perda de mercado pela estatal e do consequente incentivo às importações de derivados.

Na sexta-feira, 08, a FUP se reuniu com trabalhadores do setor elétrico para dar continuidade à luta conjunta das duas categorias contra o desmonte dos Sistemas Eletrobrás e Petrobrás. Os petroleiros já vêm construindo uma agenda integrada com os eletricitários, através de diversas ações sindicais e do engajamento na Frente Parlamentar de Defesa do Setor Elétrico Brasileiro e da campanha "O Petróleo é do Brasil", lançada recentemente pelas Frentes Parlamentares Mistas em Defesa da Petrobras e da Soberania Nacional.

Uma das atividades em conjunto é a Audiência Pública articulada através do senador Paulo Paim (PT/RS), que será realizada terça-feira, dia 12 de junho, no Senado, para discutir a política de preços da Petrobrás, como reflexo direto do desmonte da companhia e do projeto do governo Temer de privatização de todo o setor energético. Entre os convidados para o debate, estão o ex-coordenador geral da FUP, José Maria Rangel, e o ex-diretor do Sindipetro Bahia, Radiovaldo Costa.

[FUP]

Mídia