updated 12:13 AM CDT, Jun 22, 2018
Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018

Sindipetro-RN repudia desmonte de refinarias e convida categoria para resistência

A Diretoria Colegiada do Sindicato dos Petroleiros e Petroleiras do Rio Grande do Norte – SINDIPETRO-RN – vem a público manifestar o seu mais veemente repúdio à intenção de privatização de refinarias da Petrobrás, anunciada internamente pela Direção da Companhia, na manhã desta quinta-feira, 19.

Designado como “reposicionamento estratégico”, o processo de privatização prevê a venda de 60% das refinarias Abreu e Lima (PE), Landulpho Alves (BA), Alberto Pasqualini (RS) e Presidente Getúlio Vargas (PR), em um pacote fechado, que inclui ainda 24 dutos e 12 terminais.

O desmonte da Petrobrás enquanto empresa integrada de produção de energia vem sendo arquitetado e conduzido pela gestão Pedro Parente, desde que este assumiu a Direção da Companhia, em 2016, por indicação do golpista e usurpador Michel Temer. Não por acaso, vários ativos já foram negociados e há clara retração de investimentos em áreas de E&P tradicionais.

A prosseguir em seu intento, Parente transformará a Petrobrás em mera produtora e exportadora de óleo cru, extraído da fatia que lhe restar nas imensas e produtivas jazidas do Pré-sal, descobertas por ela própria. Entre outros desdobramentos, a Companhia abdicará de qualquer preocupação com o desenvolvimento econômico nacional ou com a diminuição das desigualdades entre as diferentes regiões do país.

A venda de refinarias, portanto, é mais um capítulo da tragédia anunciada que começou com a alteração da política de preços de derivados de petróleo e que reduziu drasticamente a carga processada nessas unidades. Denunciadas pelo movimento sindical petroleiro, essas ações visam entregar o mercado doméstico de combustíveis para as concorrentes internacionais, preparando terreno para as privatizações hoje anunciadas.

Como entidade representativa dos petroleiros e petroleiras norte-rio-grandenses, o SINDIPETRO-RN não se calará diante desses ataques e conclama a categoria a se levantar, somando suas vozes às dos companheiros e companheiras que, hoje, se encontram mais diretamente ameaçados por tais medidas.

Nos próximos dias, a entidade promoverá uma Assembleia Geral Extraordinária, e a Diretoria do Sindicato espera comparecimento maciço de trabalhadores e trabalhadoras dos setores público e privado, a fim de discutirmos formas de luta mais avançadas para enfrentamento conjunto dessa situação.

Natal (RN), 19 de abril de 2018

Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN

Mídia