updated 9:14 PM BRT, Apr 20, 2018
Sábado, 21 de Abril de 2018

Petroleiros repudiam visita de Pedro Parente à P-56

A plataforma P-56, na Bacia de Campos, receberá nesta segunda, 11, uma visita indesejada: a do presidente entreguista da Petrobrás, Pedro Parente. O Sindipetro-NF foi informado de que a gerência da unidade está "estimulando" os trabalhadores a "deixarem tudo perfeito", executando um conjunto de PTs (Permissão de Trabalho) que foi até apelidada de "rota do presidente".

"Pedro Parente não é bem-vindo na P-56 e em nenhuma unidade da Petrobrás. Se dependesse apenas dele, a empresa já teria sido vendida por completo. O seu DNA é privatista. Por enquanto, vendeu o que pode em ativos e segue no desmonte da empresa", afirma o coordenador geral do sindicato, Tezeu Bezerra.

Parente é alvo de denúncia da FUP (Federação Única dos Petroleiros) na Procuradoria da República. Uma representação pelo seu impedimento foi protocolada no órgão em junho deste ano. O documento lista medidas tomadas pelo presidente contra a nação e demonstra a existência de conflito de interesses, já que Parente é sócio fundador da Prada Consultoria — um grupo de gestão financeira e empresarial que é presidido por sua esposa, especializado em maximizar os lucros de milionários brasileiros com relações diretas com a Petrobrás.

A promiscuidade da gestão da empresa com o mercado financeiro também foi denunciada pela FUP em relação a outro privatista, o diretor de governança e conformidade da companhia, João Elek, que depois de ser afastado por ter sido denunciado à Comissão de Ética Pública da Presidência da República, foi reconduzido à função pelo Conselho de Administração controlado pela atual gestão. Ele contratou sem licitação, por R$ 25 milhões, a consultoria financeira Deloitte, empresa onde sua filha passava por processo de seleção.

Embarque do NF adiado

Curiosamente, um embarque do coordenador geral do Sindipetro-NF na P-56, que estava programado também para esta segunda-feira, para reunião de Cipa no dia seguinte, foi adiado pela Uo-Rio para a próxima quinta-feira, para reunião na sexta. O sindicato protestou junto à gerência contra essa mudança de data. A empresa alega que o embarque precisou ser mudado em razão de um evento festivo referente aos 40 anos da Bacia de Campos, que inclui o embarque de Parente na P-56.

Fonte: Sindipetro-NF

Mídia