updated 3:34 PM BRST, Dec 14, 2017
Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017

Petroleiros baianos protestam contra reforma da Previdência

A direção do Sindipetro Bahia e os trabalhadores realizaram várias atividades nesta manhã de terça (05\12), nas unidades do Sistema Petrobrás, contra a reforma da Previdência. Das 6h às 9h, os petroleiros fizeram o ato no trevo da Resistência\São Francisco do Conde, no acesso à Refinaria Landulpho Alves, com uma caminhada que teve a participação de centenas de trabalhadores. O Sindipetro contou com o apoio do SITICCAN na RLAM e TEMADRE e do SINDITICC na FAFEN. Os atos aconteceram em cinco cidades.

No mesmo horário, o protesto ocorreu também em Buracica (Alagoinhas), na FAFEN (Camaçari), no Temadre (Madre de Deus) e no início da tarde no prédio do EDIBA, em Salvador. O advogado Clériston Bulhões participou do ato no EDIBA, tirando dúvidas sobre a reforma da Previdência e os prejuízos que podem ser causados aos trabalhadores caso ela seja aprovada.

Em protesto contra a reforma da Previdência, a partir das 15h, CUT Bahia, sindicatos e movimentos sociais fazem uma caminhada do Campo Grande até a Praça Castro Alves.

Segundo a direção do Sindipetro Bahia, a nova proposta de desmonte da Previdência Social anunciada pelo governo do ilegítimo Michel Temer (PMDB\SP) é tão ou mais perversa do que as anteriores. As trabalhadoras e os trabalhadores do setor público e do privado serão prejudicados em todas as situações impostas pelas novas regras que devem ser votadas a qualquer momento na Câmara dos Deputados. Por esse motivo, as centrais sindicais e os movimentos sociais estão alertas para promover uma greve geral caso o governo anuncie a votação da reforma da Previdência.

Para o presidente da CUT nacional, Vagner Freitas, “juntas, as reformas trabalhistas – que entrou em vigor no dia 11 de novembro – e a da Previdência, vão acabar com o emprego formal e, consequentemente, com as chances dos trabalhadores se aposentarem”. 

Fonte: Sindipetro-BA

Mídia