updated 6:16 PM BRST, Nov 24, 2017
Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017

Petroleiros iniciam Dia de Mobilização contra a reforma trabalhista com ato no EDIBA

Os petroleiros da Bahia iniciaram o Dia Nacional de Mobilizaçãol contra a Reforma Trabalhista com uma atividade em frente ao EDIBA, no bairro do Itaigara.  Houve distribuição do jornal Diálogo e conversa com a base.

A ideia é conscientizar os trabalhadores e trabalhadoras para a necessidade de intensificar a mobilização contra os retrocessos protagonizados pelo governo golpista de Temer (PMDB) e seus aliados como o PSDB e o DEM, afirmou o diretor do Sindipetro Bahia, George Arléo, que falou ainda sobre a situação dos petroleiros que estão vendo os seus direitos sendo ameaçados e o Sistema Petrobrás destruído.

Para o diretor de comunicação do Sindipetro, Ivo Saraiva, a contrarreforma é um acinte aos trabalhadores “o que estamos vivenciando é o desmonte de direitos conquistados ao longo de quase cem anos. Essa reforma atinge a todos os trabalhadores, independente de regime de trabalho, de possuir nível superior, médio ou técnico. Ela veio para dizimar as relações de trabalho. É um retrocesso enorme e temos que continuar denunciando e seguir em frente, sempre na luta”.

Já o diretor do Sindipetro, Jairo Batista, alertou à categoria para que sempre busque se informar através das mídias alternativas ou com os representantes do sindicato, para que possa ter um retrato real do que está acontecendo no país. “Estamos vivendo uma guerra, a luta de classes está aí para quem quiser ver. Temos que nos unir, fortalecer o lado dos trabalhadores, porque apesar da menor representatividade, o governo golpista e os empresários mal intencionados estão ganhando esse round. Precisamos virar o jogo e isso só será possível, ocupando as ruas em defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras e da democracia em nosso país”.

Em Alagoinhas também aconteceu mobilização no início da manhã. O Sindipetro Bahia esteve presente.

Outra grande manifestação acontece no final da manhã, do Campo Grande à Praça Municipal.

Fonte: Sindipetro-BA

Mídia