updated 11:39 AM BRT, Sep 20, 2017
Quarta-Feira, 20 de Setembro de 2017

"Os petroleiros são a pátria de capacete e macacão", afirma Dilma Rousseff na II Plenafup

Imprensa da FUP

A ex-ministra Dilma Rousseff foi recebida na tarde desta sexta-feira, 04, aos gritos de “olê, olê, olê, olá, Dilma, Dilma” pelos delegados que participam em Brasília da II Plenafup. A pré-candidata do PT à eleição presidencial se emocionou várias vezes diante de um plenário lotado de trabalhadores, convidados e jornalistas, durante as duas horas em que ouviu e assistiu às manifestações, reivindicações e homenagens dos petroleiros e petroleiras.  Dilma Rousseff chegou acompanhada pelo presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), José Eduardo Dutra, que também recebeu as saudações dos trabalhadores do Sistema Petrobrás, empresa que presidiu no primeiro mandato do governo Lula. (Leia também: Presidente do PT relembra tentativas dos tucanos de privatização da Petrobrás )

O coordenador da FUP, João Antônio de Moraes, e o diretor da Federação, Aldemir Caetano Silva, reafirmaram para a ex-ministra os principais temas que estão na pauta política e na agenda de luta da categoria, como a proposta construída em conjunto com os movimentos sociais, que defende a retomada do monopólio estatal do petróleo, a destinação social deste recurso e uma Petrobrás 100% pública. A continuidade dos investimentos da estatal nos campos terrestres de produção operados pela empresa, assim como das obras de ampliação da Reman, projeto estratégico para a refinaria de Manaus que está sob ameaça, foram outras questões abordadas pelos dirigentes sindicais. A reincorporação da Transpetro e da Refap ao Sistema Petrobrás, a incorporação da refinaria de Rio Grande (antiga Ipiranga) e a realização de uma Conferência Nacional de Energia também foram reivindicações ressaltadas pela FUP. 

Tanto Moraes, quanto Caetano frisaram a importância dos avanços sociais, econômicos e geopolíticos conquistados nos oitos anos de governo Lula e ressaltaram que é necessário aprofundar as conquistas e impedir o retrocesso. “Reconhecemos no projeto representado pela companheira Dilma o projeto mais identificado com os interesses da classe trabalhadora brasileira”, ressaltou o coordenador da FUP. “Particularmente na questão da energia, precisamos aprofundar o debate com os movimentos sociais e a população, através, por exemplo, de uma conferência nacional de energia, para que a sociedade civil se manifeste”, enfatizou Moraes. “Nos debates que travamos nesta plenária, todas as forças políticas têm sido unânimes em suas análises de conjuntura ao reconhecer as diferenças do atual governo para os governos anteriores. O nosso país mudou para melhor e não temos receio algum de reafirmar que não podemos perder de forma alguma esse projeto”, declarou Caetano. 

Vídeos e cordel emocionam Dilma

Dilma Rousseff foi surpreendida com algumas homenagens feitas pelos delegados. O petroleiro baiano aposentado, Tarcísio Moraes, declamou um cordel de sua autoria, feito especialmente para a ex-ministra. Intitulado “Dilma para presidente”, o cordel relata a transformação do país ao longo dos últimos anos, comparando as conquistas e avanços do atual governo em relação ao passado de privatizações e aprofundamento do neoliberalismo. “Porque não se faz presente com o passado esquecido, principalmente o futuro para ser bem construído, tem de o passado lembrar pra que se possa evitar um erro ser repetido”, destaca Tarcísio em uma das estrofes do cordel, que foi repetida mais tarde pela ex-ministra em sua saudação aos petroleiros.

Dilma também assistiu ao vídeo sobre os 15 anos da greve de maio de 1995, que relata os enfrentamentos da categoria à política neoliberal e autoritária do governo do PSDB/DEM (então PFL). Outro momento de grande emoção para a ex-ministra foi a surpresa feita pelas delgadas, assessoras e funcionárias da FUP e de seus sindicatos, que criaram um clipe com um jingle em homenagem à pré-candidata, enfocando a mulher como protagonista em várias situações. (clique aqui para assistir ao clipe)

“Os petroleiros são a pátria de capacete e macacão”

Dilma se sensibilizou com as manifestações de apoio dos trabalhadores e trabalhadoras, destacando que “na vida e na política, a emoção é fundamental”. Ela frisou que se sente muito feliz quando está no meio dos petroleiros. “Estarei sempre ao lado de todos aqueles que resistiram e lutaram contra a privatização da Petrobrás”, ressaltou, vestida com um colete da FUP, que recebeu da diretoria e que fez questão de colocar antes de sua falação.

A ex-ministra destacou que a greve dos petroleiros em 1995 foi mais um momento de enfrentamento na luta para que a Petrobrás e o Brasil pudessem agora dar passos decisivos para transformar o petróleo em riqueza social. “Estou muito feliz aqui porque acho que vocês são a prova viva do que o Brasil é capaz”, destacou Dilma, arrancando aplausos da plenária ao declarar que os trabalhadores da Petrobrás, próprios e terceirizados, “são a pátria de capacete e macacão”.

Ao som de “Brasil pra frente, Dilma presidente”, a ex-ministra deixou o plenário arrastada pelas delegações, que encerram neste sábado, 05, a II Plenária Nacional da FUP. O apoio da categoria à candidatura de Dilma será um dos pontos da pauta de deliberações que serão submetidos à votação na plenária final.

Clique aqui e veja o vídeo da participação de Dilma Rousseff na II Plenafup.

Mídia

Última modificação emSegunda, 20 Fevereiro 2012 17:20