updated 6:16 PM BRST, Nov 24, 2017
Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017

QUADRO PARCIAL DAS ASSEMBLÉIAS DESTA SEXTA-FEIRA: Petroleiros de todo o país continuam rejeitando contraproposta da Petrobrás

Nas bases de Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Amazonas, as assembléias serão encerradas no fim da tarde de hoje.

Imprensa da FUP

Os sindicatos filiados à FUP deram prosseguimento nesta sexta-feira, 18, às assembléias com trabalhadores de todo o Sistema Petrobrás. Desde terça-feira, 15, estão sendo ouvidos petroleiros das unidades operacionais e administrativas da empresa, que estão rejeitando a contraproposta apresentada pela Petrobrás, conforme o indicativo da FUP e seus sindicatos. As assembléias serão encerradas na próxima segunda-feira, 21. No dia 22, o Conselho Deliberativo da FUP reúne-se para que os sindicatos definam a data da greve nacional, por tempo indeterminado, que também está sendo aprovada pelos trabalhadores em assembléias. Nas bases de Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Amazonas, as assembléias serão encerradas no fim da tarde de hoje. Na Bahia, as assembléias foram concluídas na quarta, 16, quando os trabalhadores rejeitaram a proposta da Petrobrás e aprovaram iniciar a greve no estado. Leia aqui como tem sido o enfrentamento dos petroleiros baianos, diante da truculência da empresa.

Confira a parcial das assembléias desta sexta-feira:

Em Minas Gerais, o Sindipetro encerrou as assembléias na manhã hoje, com o grupo 4 da Regap, onde os trabalhadores ratificaram a rejeição da contraproposta da Petrobrás. Foram 45 votos a favor do indicativo da FUP e sindicatos, 4 contra e nenhuma abstenção. As assembléias ocorreram ao longo da semana. Contando os votos de todos os trabalhadores de turno e do setor administrativo da refinaria, que participaram, são 240 votos de rejeição à contraproposta, 88 a favor e 40 abstenções.

No Espírito Santo, o calendário de assembléias continua sendo seguido. Hoje, foram ouvidos os trabalhadores da UTG-Sul, em Guarapari, da unidade operacional base 61, em São Mateus e da sede administrativa da Petrobrás em Vitória. Ao todo, 86 trabalhadores rejeitaram a contraproposta, 80 aprovaram e 5 optaram pela abstenção. Na parte da tarde, o Sindipetro – ES realiza assembléia na Companhia Portuária de Vila Velha, onde ocorre o apoio logístico às unidades de plataformas marítimas da Petrobrás no ES. Na segunda, 21, os trabalhadores dos terminais da Transpetro serão ouvidos.

Na Reduc, em Duque de Caxias, as assembléias foram com os trabalhadores do setor administrativo da refinaria. Foram 153 votos de rejeição à contraproposta, 13 a favor e duas abstenções. O Sindipetro – Caxias encerrará a realização das assembléias na segunda-feira, 21.

Nas bases do Sindipetro Unificado de SP, as assembléias prosseguiram com trabalhadores dos grupos A, B e D e do setor administrativo da Recap, onde 181 petroleiros rejeitaram a contraproposta da Petrobrás, 15 aceitaram e 5 preferiram se abster. Na Replan, foram ouvidos os trabalhadores do grupo 2 e 4 e também da área administrativa. Foram 209 votos de rejeição, 73 a favor e 3 abstenções. As assembléias também ocorreram nos terminais da Transpetro em Guarulhos, Barueri e Guararema, onde o indicativo de rejeição da contraproposta da empresa também foi seguido pela maioria dos trabalhadores ouvidos. Até o momento, são 465 votos de rejeição, 102 favoráveis e 20 abstenções.

Em Pernambuco, as assembléias tiveram continuidade com os trabalhadores do turno das 23h de ontem, no Terminal de Suape, com 9 votos a favor do indicativo da FUP e sindicatos, 2 contra e uma abstenção. Na manhã de hoje, foram ouvidos os trabalhadores do Terminal de Cabedelo, na Paraíba, onde a contraproposta também foi rejeitada por ampla maioria. Na segunda-feira, 21, o Sindipetro PE/PB encerra as assembléias na Refinaria Abreu e Lima.

No Ceará, as assembléias foram iniciadas ontem na Fazenda Belém, com os trabalhadores de turno e do administrativo da Lubnor, na sede administrativa do E&P, na base off shore de Paracuru e nos terminais da Transpetro de Maracanau e Pecem. O Sindipetro –CE dará continuidade às assembléias até segunda-feira, 21, com os trabalhadores da Usina Biodiesel de Quixadá, da Termoelétrica Ceará, das plataformas marítimas e no terminal da Transpetro de Mucuripe. Ao todo, 137 trabalhadores rejeitaram a contraproposta da Petrobrás, 11 ficaram a favor e 09 optaram pela abstenção.

Na tarde de ontem, os petroleiros do Canto do Amaro, Lorena e do Riacho da Forquilha, no Rio Grande do Norte, rejeitaram a contraproposta da Petrobrás. Ao todo, foram 57 votos a favor do indicativo da FUP e sindicatos, 18 contra e 7 abstenções. Hoje, o Sindipetro – RN prosseguiu com as assembléias na unidade operacional e administrativa de Mossoró. Desde o inicio das assembléias, já são 301 votos de rejeição da contraproposta, 206 a favor e 20 abstenções. A consulta aos trabalhadores será encerrada hoje, nas sondas da Petrobrás no RN e nos campos de produção terrestre.

No Rio Grande do Sul, as assembléias foram encerradas hoje, no Terminal do Rio Grande e no Pólo Naval da região. Ao longo da semana, o Sindipetro-RS realizou assembléias com trabalhadores de turno e do administrativo da Refap e dos terminais da Transpetro. Ao todo, 309 trabalhadores rejeitaram a contraproposta da Petrobrás, 110 aprovaram e 11 preferiram a abstenção.

Nas bases do Amazonas, as assembléias também prosseguiram ao longo da semana, com os trabalhadores de turno e do setor administrativo da Reman, dos terminais da Transpetro e, hoje, no Sindipetro com os aposentados. No total, a contraproposta teve 220 votos de rejeição, 36 de aprovação e 22 de abstenção.

No Norte Fluminense, o sindicato decidiu condicionar a realização das assembléias à retirada  das equipes de contingência enviadas pela Petrobrás às plataformas e ao Terminal de Cabiúnas. Até o momento, já somam 669 pelegos que fazem parte das equipes de contingência da Petrobrás na Bacia de Campos. 

Data da greve nacional será definida pelo Conselho Deliberativo

A greve por tempo indeterminado, com controle e parada de produção, será iniciada na data que for definida pela FUP e seus sindicatos na reunião do Conselho Deliberativo, que acontece na próxima terça-feira, 22, no Rio de Janeiro. Formado por representantes de cada um dos 12 sindicatos filiados, além da diretoria executiva da FUP, o Conselho se reunirá pela quinta vez nesta campanha para avaliar o quadro nacional das assembléias e definir os próximos encaminhamentos que serão divulgados aos trabalhadores da Petrobrás e subsidiárias.

 

Mídia