updated 11:39 AM BRT, Sep 20, 2017
Quarta-Feira, 20 de Setembro de 2017

Conselho Deliberativo da FUP reúne-se nesta quinta (19) para definir próximos passos da campanha

Os dirigentes sindicais irão avaliar a proposta apresentada pela Petrobrás, discutir mobilizações e definir os próximos passos...

Imprensa da FUP

A Diretoria Executiva da FUP convocou reunião de seu Conselho Deliberativo, a realizar-se nesta quinta-feira, 19, no Rio de Janeiro, para discutir a campanha salarial no Sistema Petrobrás, avaliar a proposta apresentada pela empresa e definir os próximos passos. O Conselho também avaliará o quadro recente de mobilização da categoria e discutirá um novo calendário de lutas. O Conselho Deliberativo é formado por um dirigente de cada sindicato filiado, além da diretoria executiva da FUP.

Mobilizar para conquistar! 

Depois do vergonhoso abono pago aos gerentes, consultores e demais funções gratificadas, na véspera da primeira rodada de negociação com a FUP, a Petrobrás volta a indignar os petroleiros com uma proposta econômica reduzida e que sequer responde reivindicações importantes, como atualização e melhorias na tabela de reembolso do Programa Jovem Universitário. E, para provocar ainda mais a categoria, os gestores da empresa continuam sem garantir a proteção das verbas rescisórias dos trabalhadores terceirizados, permitindo calotes, como fizeram recentemente as duas empresas no Rio Grande do Norte, cujos trabalhadores tiveram que entrar em greve para garantir seus direitos com uma greve.

Não há dúvidas de que somente com mobilização, os petroleiros conquistarão um acordo decente e avanços em questões fundamentais para a categoria, como proteção dos direitos dos trabalhadores terceirizados e mudanças estruturais na política de SMS. A semana passada de mobilizações indicadas pela FUP serviu de termômetro para a Petrobrás e deu o recado de que os trabalhadores querem avanços.

Na Bahia, os petroleiros já rejeitaram a proposta da empresa, durante assembléias realizadas nos atos e concentrações que ocorreram nas unidades.

No Unificado-SP, no Espírito Santo, no Rio Grande do Norte, no Ceará, Em Pernambuco, Paraíba, Paraná, Santa Catarina, Duque de Caxias, Amazonas, Minas Gerais, as mobilizações também foram fundamentais para aquecer a categoria para as demais lutas que ocorrerão ao longo da campanha. As atividades culminaram com paralisações na sexta-feira, 13, na maioria das bases da FUP.

No Norte Fluminense, os trabalhadores aprovaram no final de semana uma mobilização surpresa nas plataformas da Bacia de Campos e no Terminal de Cabiúnas, onde a categoria trava uma grande luta com a Petrobrás por segurança. As denúncias e mobilizações dos petroleiros da Bacia de Campos têm repercutido em todo o país e resultaram na interdição da P-33, pela ANP.

Mídia